20 de ago de 2017

Giro por Araucária/Campo Largo

Sábado dia 19/08 fui junto com Leandro fazer um pedal pelas regiões de Araucária e Campo Largo. Nossa primeira parada foi para o café da manhã ao lado do terminal do Angélica, em Araucária. Bem em frente ao terminal tem uma rua, seguimos por ela e passamos pela represa do Passaúna e várias paisagens bucólicas pelo caminho. Paramos um pouco na ponte que divide Araucária e Campo Largo e seguimos, sempre acompanhados de chuva, hora fraca hora forte. Saímos na Estrada da Sereia e partimos sentido Jusita para um almoço. Depois seguimos sentido colônias Figueiredo e Dom Pedro e com chuva forte. Saímos novamente na 277 e atravessamos para a estrada chamada "Rala saco" e depois seguimos pela 277. Pedal bonito, quem quiser se aventurar pela região, existem muitos lugares a serem explorados. 


A represa do Passaúna

Rapaziada pescando por ali


Esquerda ou direita?



Colônia Cristina


Ponte da divisa


Tio de barra forte

Sereia

Almoço


Alguns clicks da região





 
Pausa pro tabaco

Rala saco

Chopp pra finalizar
Link da rota

12 de ago de 2017

Pedal por Campo Magro

12/08 voltei a pedalar numa estrada de chão, nem lembro a última vez que havia respirado um pouco de pó. O Leandro conhece tudo de estrada de chão na região de Curitiba, então fomos fazer um trajeto pela região de Campo Magro. Seguimos pela Estrada do Cerne, tomamos uma café da manhã em Bateias, seguimos pela estrada de Ouro Fino, fomos até o Forno, depois Lagoa Azul, subimos a serrinha e chegamos ao famoso Canelinha. Pedal maneiro, estrada de chão é bem diferente de asfalto, é osso.
 Estrada do Cerne, a partir de Santa Felicidade, está um mel depois das reformas!

Chão 

Estarda de Ouro Fino, até o asfalto vai de estradeira, depois...

 Só MTB
 

 O forno


A Lagoa Azul




 Saudades do pó
 Link do Strava

Curitiba/Marumbi (Rochedinho) Antonina

Dia 06/08 fui fazer um trajeto novo: ir até o Conjunto Marumbi. Queria testar a bike nova que adquiri, uma MTB Giant aro 26, igual a que eu tinha e que me foi furtada em abril. 
O caminho nada novo, 277, depois tomei a estrada sentido Porto de Cima e subi sentido Marumbi. A dificuldade das subidas são em relação as pedras que são bem escorregadias, de resto é bem inclinado mas nada muito difícil, basta estar treinado.
Minha ideia era ir até lá e voltar, mas resolvi subir o Rochedinho, que é uma montanha relativamente fácil. 20 m pra subir 15 pra descer, troquei umas ideias com o Edson do IAP e fui embora em direção a Antonina, casa da família de minha companheira. Fui pela Estrada da Graciosa, já que não havia pedalado naquele trecho indo pra Antonis. Pedal bacana!

277 cheia de ciclistas descendo e subindo

Pneu furado

Coreto de Morretes

Eita Marumbi!

 Eu no IAP Prainhas

Subindo as escadas da Estação Lange pra Marumbi

Estava bonito no dia



Olha a bosta que achei na trilha. Recolhi e entreguei no IAP

Pose com Marumbi atrás

No trecho da Graciosa que liga Morretes/Antonina

Link do Strava

6 de ago de 2017

Pico Caratuva

    Dia 29 de Julho fomos eu Lais e Camila subir o Pico Caratuva. Não vou me estender no relato. A trilha é muito bem demarcada e não tem erro. A caminhada é de fácil para moderado, qualquer pessoa um pouco habituada a caminhada sobe lá. 
    Uma coisa importante é o ponto de água, depois da bifurcação Caratuva/Pico Paraná, quando se entra na trilha para o Caratuva, caminha-se uns 5 minutos e tem um rio. Em tempos secos fica só uma poça, então deve-se subir um pouco o rio, lá tem água corrente. 
    O visual lá de cima é fantástico, dá pra ver de frente o P.P, União e Ibirati, além do Camelos, Itapiroca, Itaibapuçu e Ferraria. 
    *fotos de Lais e Camila    







Link da rota ida e volta