8 de set de 2017

Randonnée 600 km (Audax Curitiba)

    Nos dias 01/02 e 03 de Setembro fui participar de mais um desafio Randonnée, o 600 organizado pelo Clube Audax Curitiba. Resolvi participar para treinar para um outro desafio que pretendo fazer e para testar a MTB 26' (Maravilhosa) em dois quesitos: longa distância, no que pra mim foi aprovada, pois ela tem um giro muito bom e o outro era o plano, no que não foi aprovada pois apesar do giro não consegui manter uma velocidade alta, o que me atrapalhou em alguns momentos. No geral a MTB 26, para mim, serve pro barro e para pedais com subidas e descidas, não plano.
    Fiz pouquíssimos registros fotográficos então farei um pequeno relato de PC em PC. Fui junto o pedal todo com o amigo Luiz Chagas, junto de sua Colnago.
Talvez para quem quiser futuramente pedalar esse 600 ajude alguma coisa.

Largada/PC 1
A largada foi na Bike Batel as 9 horas da noite. Seguimos pela 277 e na descida da serra chuva e neblina que fizeram a gente freiar bastante. Na estrada que vai a Praia de Leste um cara sentado no meio da estrada lendo livros, bem estranho. O primeiro PC foi no posto Marú, em Praia de leste.

PC2/ Ferry Boat, Matinhos - Presencial
Pedalamos até o Ferry Boat de Matinhos, perna muito boa, tranquila. Esperamos 1:18 minutos a balsa e atravessamos para Guaratuba, pedalada muito boa também, trecho tranquilo na madrugada. No PC água, refri, paçoca animaram a noite.

PC3/Restaurante Merlô (Garuva) - Virtual
Pedalada pela estrada que liga Guaratuba a Graruva, tranquilo também. Chegamos ao Pc com muito sono, ainda bem que estava amanhecendo e deu um grau no pedal.

PC4/Panificadora da Nona, Guaramirim - Virtual
Para se chegar a esse tomamos a Rodovia do Arroz, que é muito boa. Choveu nesse trecho mas nada de absurdo. Na Pani muita comida a valores baixos, tem um "Open" de salgados por 12 pilas.

PC5/Timbó - Presencial
Esse trecho foi ruim, acostamento podre, pista simples, carros passando a milhão, uma pequena serra e muita terceira faixa. Nesse trecho Chagas teve um pneu furado. Em Timbó paramos num posto, frutas, paçoca e coca, muito bom.

PC6/Posto Fortaleza, Penha - Virtual
A pedalada de Timbó até esse PC foi terrível, pela famigerada SC - 470, 70 KM de, com o perdão da palavra, pura merda de estrada. Motoristas mal educados passavam pela gente muito rápido, dando finas nos ciclistas (alguns foram jogados para fora do acostamento). Não recomendo ninguém a pedalar por ela. Atravessamos a 101, pedalamos pela orla da cidade e chegamos bem cansados ao PC, pegamos uma nota e partimos.

PC7/ Hotel Oceânico, Barra Velha - Presencial
A pedalada do Posto até o Hotel tentamos ir bem rápido para chegar o mais rápido possível para ter ao menos um tempo para dormir, pedalada tranquila, já havia passado por esse trecho em outros desafios Randonnée. Chegamos as 21 horas, compramos um lanche numa lanchonete próxima, banho e tivemos 3 horas de sono.

PC8/Restaurante Paradouro, Garuva - Virtual
Saímos as 1 hora da manhã do hotel, pedalando pela 101. Tranquilo, pouco movimento. Lá pelas tantas tive um pneu furado. Chegamos ao Paradouro as 6 da manhã.Comemos e furo na bike do Chagas. Tomamos a estrada que liga Garuva a Guaratuba e ali só vai, passamos tranquilos.

PC9/Ferry Boat, Guaratuba - Presencial
Chegamos ao Ferry e o PC estava muito bem estruturado, comidas e café. Lá fiquei sabendo que o tempo de espera da balsa ia ser descontado.

PC10/ Posto Marú - Virtual
Nada de especial da balsa até o Marú, tudo certo. Nota e partimos.

PC11/Hotel Pousada Vista do Marumbi
Nessa pedalada tudo certo também, cansados é claro mas decididos a chegar logo. A estrada de Praia de Leste é meio sacal mas fazer o que, tem que ir. Próximo a entrada de Morretes o Chagas passou um pouco mal, falta de comida, que foi suprida por um baita pastel. Mais uma meia hora e chegamos ao hotel. Tomei duas beras, tirei um cochilo no chão e voltamos de táxi pra Curitiba. Parabéns a todos que finalizaram o desafio e aos que tentaram, 600 km não é bolinho.

A organização foi impecável, os PC's todos foram bem fáceis de de encontrar, os que eram presenciais muito bem estruturados, parabéns ao Lúcio e equipe!
 
Seguem os poucos registros que fiz e aqui o link da rota.


Sujeira que seguiu da serra até o hotel

Pescaria no Ferry Boat e galera trocando ideias


Divisa de Massaranduba e Blumenau, muito bonito

'Maravilhosa' em alguma cidade, esperando a gente comer 

Uma dedicatória que fiz para minha companheira, na estressante SC - 470

Cheiro de pneu furado

20 de ago de 2017

Giro por Araucária/Campo Largo

Sábado dia 19/08 fui junto com Leandro fazer um pedal pelas regiões de Araucária e Campo Largo. Nossa primeira parada foi para o café da manhã ao lado do terminal do Angélica, em Araucária. Bem em frente ao terminal tem uma rua, seguimos por ela e passamos pela represa do Passaúna e várias paisagens bucólicas pelo caminho. Paramos um pouco na ponte que divide Araucária e Campo Largo e seguimos, sempre acompanhados de chuva, hora fraca hora forte. Saímos na Estrada da Sereia e partimos sentido Jusita para um almoço. Depois seguimos sentido colônias Figueiredo e Dom Pedro e com chuva forte. Saímos novamente na 277 e atravessamos para a estrada chamada "Rala saco" e depois seguimos pela 277. Pedal bonito, quem quiser se aventurar pela região, existem muitos lugares a serem explorados. 


A represa do Passaúna

Rapaziada pescando por ali


Esquerda ou direita?



Colônia Cristina


Ponte da divisa


Tio de barra forte

Sereia

Almoço


Alguns clicks da região





 
Pausa pro tabaco

Rala saco

Chopp pra finalizar
Link da rota

12 de ago de 2017

Pedal por Campo Magro

12/08 voltei a pedalar numa estrada de chão, nem lembro a última vez que havia respirado um pouco de pó. O Leandro conhece tudo de estrada de chão na região de Curitiba, então fomos fazer um trajeto pela região de Campo Magro. Seguimos pela Estrada do Cerne, tomamos uma café da manhã em Bateias, seguimos pela estrada de Ouro Fino, fomos até o Forno, depois Lagoa Azul, subimos a serrinha e chegamos ao famoso Canelinha. Pedal maneiro, estrada de chão é bem diferente de asfalto, é osso.
 Estrada do Cerne, a partir de Santa Felicidade, está um mel depois das reformas!

Chão 

Estarda de Ouro Fino, até o asfalto vai de estradeira, depois...

 Só MTB
 

 O forno


A Lagoa Azul




 Saudades do pó
 Link do Strava

Curitiba/Marumbi (Rochedinho) Antonina

Dia 06/08 fui fazer um trajeto novo: ir até o Conjunto Marumbi. Queria testar a bike nova que adquiri, uma MTB Giant aro 26, igual a que eu tinha e que me foi furtada em abril. 
O caminho nada novo, 277, depois tomei a estrada sentido Porto de Cima e subi sentido Marumbi. A dificuldade das subidas são em relação as pedras que são bem escorregadias, de resto é bem inclinado mas nada muito difícil, basta estar treinado.
Minha ideia era ir até lá e voltar, mas resolvi subir o Rochedinho, que é uma montanha relativamente fácil. 20 m pra subir 15 pra descer, troquei umas ideias com o Edson do IAP e fui embora em direção a Antonina, casa da família de minha companheira. Fui pela Estrada da Graciosa, já que não havia pedalado naquele trecho indo pra Antonis. Pedal bacana!

277 cheia de ciclistas descendo e subindo

Pneu furado

Coreto de Morretes

Eita Marumbi!

 Eu no IAP Prainhas

Subindo as escadas da Estação Lange pra Marumbi

Estava bonito no dia



Olha a bosta que achei na trilha. Recolhi e entreguei no IAP

Pose com Marumbi atrás

No trecho da Graciosa que liga Morretes/Antonina

Link do Strava