17 de nov de 2016

Passeio de caiaque pela Baía de Antonina

    Dia 12/11 (sábado) foi dia de deslizar sobre as águas da Baía de Antonina. Em Julho eu tive minha primeira experiência com esse esporte. Na ocasião, o mar estava agitado e eu estava com um caiaque individual. Fiquei um pouco receoso pois não sei nadar (haha) e o rolê foi mais curto, foi mais para conhecer como funciona. Nas outras vezes que fui para remar, ou choveu muito ou o mar estava muito agitado. Dessa vez fui num caiaque duplo junto com Laís (que é experiente e me levou na primeira vez) e o mar estava um "mel": a maré estava cheia e bem tranquila, propício para aproveitar o passeio. Saindo do trapiche, seguimos para esquerda, costeando a vegetação de mangue, no caminho vimos alguns pescadores e suas redes mas o legal foi ver os colhereiros, aves que parecem ter realmente uma colher no bico. O ponto de chegada foi a pequena Ilha do Corisco, que é atracável quando a maré está baixa, mas como dessa vez estava alta não pudemos desembarcar na ilha, mas coseguimos parar numa pedra, amarrando o caiaque numa pequena árvore. Fizemos uma lanche, alguns registros e partimos. Na volta flagramos alguns dejetos descartados pelo ser humano (garrafas de vidro, de plástico, etc.) e resolvemos recolhe-los. Laís comentou que uma vez rolou uma limpeza da Baía e isso nos instigou a organizar novamente uma limpeza.
Para quem quiser se aventurar pelas águas, O André Mazza, da Barco Alto Mar (041 84337958) , aluga caiaques individuais (três) e um duplo, aconselho o duplo, por ser mais estável. a Baía está lá para ser explorada!
         
A visão de laís que foi na frente

É norma utilizar o colete salva vidas. Caso aconteça de o caiaque virar, deve-se manter a calma, boiar e esperar o resgate 

A região do mangue

Pescadores na função

Chegando a Ilha do Corisco

Mais alguns pescadores

Os colhereiros. Fomos até perto deles para fotografar mas eles fugiram. Dica: câmera boa com zoom e roupas discretas




Rema rema remador!

Abarcados sobre a pedra


Aqui entramos na região do mangue. Esse caminho chega ao final numa comunidade ribeirinha





Já na volta a cidade de Antonina


Link da rota no Strava

Nenhum comentário:

Postar um comentário